sexta-feira, 23 de março de 2018

Bebés| Vamos Falar Sobre Relógios Biológicos?

Sabem o que o peso dos quase 30 nos trazem? Não, não são (só) as rugas, não, não é (só) o inicio dos cabelos brancos, não, não são (só) os sinais de mais cansaço. São as conversas dos bebés. Desde que me juntei com o meu namorado, que esse tema começou a ser atirado para o ar. Muito ao de leve porque eu sei pôr um ponto final numa conversa que ainda está por começar. 

Quando arranjámos o Kazaar, toda a gente o recebeu bem mas veio toda aquela questão de "Então mas e o bebé?". Ai... Nem me dou ao trabalho de explicar, de voltar a referir, de recordar que já se falou sobre o assunto. Acredito que, mais do que monetariamente, uma pessoa tem que estar disposta psicologicamente a dar este passo. E eu ainda agora saí de casa. Eu ainda tenho um carro velho. Eu ainda não conheci 1% do mundo. Eu ainda não consegui ganhar coragem para comprar a minha primeira mala CARA! Há tanta coisa que ainda me falta fazer, tanta coisa. 

O meu relógio biológico não está morto. Está adormecido e devo confessar que às vezes, por breves momentos, acorda. E fico "Oh tão lindo, olha nós assim com um bebé?" mas uns minutos depois passa. Acredito que quando ele despertar - se algum dia despertar, porque se não acontecer, NÃO TEM MAL! - vamos em frente com o assunto. Até lá, ainda o meu namorado tem de ir à procura do relógio dele porque ele nem isso tem ahahahah

Por isso pessoal, primeiro vamos todos orar ao universo e fazer um forcing para que o meu namorado me peça em casamento, depois disso, daqui a muitos ou poucos anos [se o universo não interferir e em vez de casamento, me trazer um bebé inesperado] voltamos a falar sobre isto. Até lá, prometo que vos vou dando muitos updates do meu bebé de quatro patas, o #babykazaar.  

11 comentários:

  1. As pessoas são muito apressadas! Cada coisa a seu tempo. 😊

    ResponderEliminar
  2. Se queres casar, porque não pedes tu? Ou, pelo menos, sugere (; não acredito muito nesses pedidos espontâneos por parte dos homens, eles não costumam sentir necessidade nenhuma de casar =p quanto ao resto, same here! Não temos um cão, mas agora que vamos para uma casa maior lá recomeçaram as inquisições

    ResponderEliminar
  3. Dar um passos desses requer mesmo ponderação e estabilidade. E, como referiste e bem, não é só a nível financeiro. O que não quer dizer que as pessoas não o queiram dar, simplesmente não o têm que dar todas na mesma altura (idade)

    ResponderEliminar
  4. Por aqui temos um gato e estamos muito bem assim. Não pensamos nisso e diria que somos radicais ao ponto de dizer que nunca vamos querer bébés. E nãao há nada de errado nisso, nem todos nascemos para ser mãaes-pais, por muito triste que a minha mãe fique haahhahaha

    ResponderEliminar
  5. Como eu te compreendo, as nossas mães são umas pedinchonas de bebés, mas nao compreendem que temos outras proprioridades, outra maneira de viver a vida e a questao da família é quando assim desejarmos.
    Relativamente a outras pessoas sou idêntico a ti, dou logo a dica se querem pagar as contas ou mostro aquela cara de que estão a ser bem indelicadas com a pergunta.
    Gosto muito de crianças, mas só para um futuro próximo, por enquanto vou apadrinhando ��

    ResponderEliminar
  6. acho que fazes bem em focar-te no que tu queres e não no que os outros te querem impor, muitas vezes as mulheres tem filhos só pela pressão social ou do tal relógio biológico e depois acabam por não fazer muitas coisas que gostavam, a vida é tua, acima de tudo!
    beijinhos :) https://ratsonthemoon.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Cada coisa a seu tempo e cada um sabe de si!
    Beijinhos

    Blog ChocoPink / Instagram / Facebook

    ResponderEliminar
  8. Acho que a idade não tem a ver com isso, mas sim a nossa vontade ou predisposição para ter um filho, e porque também acho que tudo vem a seu tempo, a verdade é que não vale a pena forçar isso, há que dar tempo ao tempo e esperar que aconteça :)

    ResponderEliminar
  9. Ahahah, compreendo perfeitamente, mas tal como tu sei muito bem terminar (ou melhor nem deixar começar) o assunto. Eu costumo dizer (e pensar) isso que tu dizes, ainda há muito mundo para ver, mas secalhar agora posso passar a usar essa tua dica da mala (que também ainda não comprei) ahah

    ResponderEliminar
  10. Estou com a Sofia, se queres casar, avança tu ;) quanto ao resto, só apetece mandar as pessoas para sítios pouco simpáticos, por se acharem no direito de opinar e decidir sobre a vida alheia... :P

    ResponderEliminar
  11. Eu também senti muita pressão: "quando é que vão morar juntos?", "quando é que casam?", "para quando um bebé?".
    E quando ele chegar de certeza que começa o "para quando um irmão?".
    As pessoas nunca estão satisfeitas e adoram opinar sobre a vida dos outros...
    Acho que estás com a postura certa!

    ResponderEliminar