domingo, 23 de abril de 2017

A minha entrevista à Minnie Me!

Pessoal!
É como muito orgulho que partilho convosco que a queria Ana Rita Cortez, autora do mais que conhecido blogue Minnie Me, convidou-me para uma entrevista e foi com o maior gosto que lhe respondi a algumas perguntas. Para quem não conhece o blogue, deixo-vos a dica que podem e devem espreitar porque podem encontrar diversos temas e acima de tudo, muita genuidade nas suas palavras. À diretora da Blogazine, um obrigada - novamente - pelo convite!

E agora tudooooo a espreitar AQUI a entrevista para ficarem a conhecer um pouco mais sobre mim!


Tenham um excelente domingo meus queridos e obrigada a todos os que visitam regularmente o meu canto, partilham e comunicam comigo! :)

sábado, 22 de abril de 2017

Post só para a lagartagem!

Adorava hoje estar de folga e poder assistir ao derby! Infelizmente não vai acontecer mas já sinto aquele nervosinho normal típico de um derby lisboeta! É, como sempre, um jogo de alto risco mas acima de tudo, malta... Divirtam-se! Gritem pela vossa equipa, cantem os cânticos mas não se agridam, não se ofendam e por favor... não se matem. Porque matar é algo que já transcende tudo e qualquer coisa que o futebol tenta defender e transmitir - transcende tudo!

E posto isto, que ganhe o GRANDE Sporting Clube de Portugal, meu clube de corpo e alma!
Um excelente sábado para vocês! :)

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Sexta-feira de amor para vocês!

E porque o mundo está cheio de ódio, espero que a vossa sexta-feira seja feita de amor. É mesmo importante - urgente! - acalmar os nosso corações, deixar de alimentar tanto o nosso ego e olhar para o lado porque às vezes basta só isso, tirarmos os olhos do nosso umbigo e ver quem esteja, talvez, pior que nós. Não digo isto com o intuito de não nos cuidarmos porque acredito que se não estivermos bem, não ajudamos ninguém por isso se tivermos que ter um tempo só para investirmos em nós próprios, devemos fazê-lo; mas ao praticarmos alguma boa ação, sentimos-nos automaticamente melhor, pelo menos eu sim. 

Por isso [novamente] uma sexta-feira ceia de sorrisos, amor e bondade no coração! :)

quinta-feira, 20 de abril de 2017

32# Tragam as pipocas, hoje é dia de cinema!



Outro filme nomeado (neste caso Natalie Portman estava nomeada na categoria de Melhor Atriz e ainda haviam mais duas nomeações - Melhor Guarda-Roupa e Melhor Banda Sonora) é o que vos trago hoje, de nome "Jackie". O filme é um drama biográfico que nos conta a história da mulher de John Kennedy e como ela sobreviveu à trágica morte do marido.

A história do filme centra-se numa entrevista em que Jackie concede fazer, relatando e respondendo a algumas perguntas que até à data não tinham ainda resposta. O filme é narrado entre o passado e presente, fazendo reviver todo o percurso desde o momento da morte do (na altura) Presidente dos EUA até ao seu funeral. Posso dizer que talvez poucos tenham apostado algo neste filme mas é de facto muito interessante ver mais um filme em que idolatra a força que uma mulher pode ter. Neste caso Jackie, apesar do marido ter morrido nos seus braços durante um cortejo de campanha para sua reeleição, tem a força de continuar a fazer o que tem de fazer, nomeadamente criar um cortejo funebre para o marido como nunca os EUA tinham assistido, de forma a ficar eternamente na lembrança e na história do país. 

Quem não aprecia filmes biográficos, este filme pode não ser a melhor escolha mas eu posso adiantar que comecei a vê-lo já tarde e agarrou até ao fim. As interpretações e a história em si (assim como a sua edição e a sua excelente banda sonora, com grande referência ao musical "Camelot") merece a pena serem apreciados e como sempre, Portman está irrepreensível. 

terça-feira, 18 de abril de 2017

Harry Potter e a Criança Amaldiçoada - Parte Um e Dois


Já comecei a ler o livro ao tempo. Mas não sei porquê... deixava-o em cima da mesinha de cabeceira e não queria lê-lo. Porque não queria acabá-lo. Porque sabia que ia acabar rapidamente... Bastaram duas ou três horitas na praia e puff, acabei esta peça maravilhosa - já sei que muita gente não gostou, que não é igual, etc, etc.

Acima de tudo, quem ainda não leu, saibam que isto é o argumento de uma peça de teatro e não mais um livro de J.K Rowling. Mas não temam... há tanta magia neste livro como nos outros só que é mais pequeno e acaba depressa demais. E eu quero mais, eu preciso de mais porque Harry Potter e as suas histórias nunca, mas nunca passarão de moda!
Apenas tive um leve desagrado ao ler a descrição da versão adulta de umas das minhas personagens favoritas - o Ron - pois não creio nada que o rapaz corajoso que era em criança se tornasse numa pessoa tão... sem grande coisa a acrescentar a esta história.

Queria acrescentar muito mais mas é difícil transcrever as sensações que este mundo paralelo ao nosso me transmite. Por isso [e baseado na lição do livro] lembrem-se sempre de viver o presente, de cuidar de quem gosto no hoje porque o passado... O passado não é possível ser alterado mas ainda assim, arrependam-se do que não fizeram. Só :)

segunda-feira, 17 de abril de 2017

9# InstaStory

Bom dia meus queridos, boa segunda-feira! Ja faz algum tempo que não partilho convosco alguns dos meus InstaStory e por isso, como é habitual às segundas, cá vão algumas fotografias sobre os meus dias! Espero que o vosso fim-de-semana de Páscoa tenha corrido bem e que tenham carregado as vossas baterias na carga máxima! :)

domingo, 16 de abril de 2017

A minha mensagem de amor para vocês neste dia

Malta, um bom domingo, uma boa Páscoa, um bom feriado. Sou católica mas não vos vou deixar aqui nem a história sobre o que significa este dia nem algo parecido mas creio que posso aproveitar para partilhar convosco uma mensagem de amor. Está escrito na Bíblia que Ele morreu por nós; há quem acredite, há quem não acredite mas toda a gente sabe que existem pessoas boas e pessoas más e que o bem tem de prevalecer e que há muita urgência nisso, cada vez mais. 

Amem mais, dediquem-se a fazer o bem mais vezes, agradeçam o que têm, lutem para melhorar o que assim entenderem, ajudem o próximo. Não esqueçam que sabe muito bem receber mas sabe igualmente bem dar, principalmente a quem está mais necessitado disso. Uma santa Páscoa, um dia feliz e a quem me lê, um grande abraço cheio de energia positiva porque quando vocês comentam e partilham algo comigo, é isso mesmo que me transmitem, energia positiva! :)

sábado, 15 de abril de 2017

E planos para sábado?

Maltinha, bom sábado! Que planos têm para este fim-de-semana? Foram para algum lugar em especial passar a Páscoa ou não ligam muito e estão por casa? Seja como for, se não trabalharem (como eu...) aproveitem para passear, se bem que esta data é propicia a enchentes de gente por todo o lado mas ainda assim, não se prendam em casa.

Eu se pudesse ia até uma esplanada na praia beber uma bela sangria! Mas era mesmo isto que me apetecia fazer mas não, estou simplesmente a fazer o meu jantar para logo, porque logo à noite, há trabalhinho. 
Queridos, divirtam-se muito!

sexta-feira, 14 de abril de 2017

4# Roteiro para cinco dias em Paris

Quarto dia

Mais um dia em que acordámos super cedo (e nos deitámos superrrrr tarde) e ainda por cima a hora tinha mudado e estávamos todos trocados maaaaas o motivo de acordar tão cedo valia a pena: visitar o Museu do Louvre!

1 - Musée du Louvre 

O museu abria às 9 da manhã e nós chegámos às 9 e meia e ainda fomos beber um cafézinho rápido nas redondezas (cinco euros, dois cafés malta!) para despertarmos de vez. Não apanhámos fila nenhuma e infelizmente já ultrapassámos os 25 anos há algum tempo e por isso pagámos bilhete mas, tedo em conta o tamanho do Louvre, é um valor acessível: 15 euros cada bilhete. 

[Nota: Nos balcões de informações têm o mapa do museu em diferentes línguas e claro, português está logo em primeiro lugar!]

Já era a minha segunda visita ao Louvre e ainda assim fiquei com a sensação (e a certeza) de que não vi nem um décimo; o museu está dividido em três alas: a ala Sully, a ala Richelieu e a ala Denon e podem encontrar exposições sobre a Antiguidade Egipcia, Grega, Romana, Artes Decorativas, Exposições, Esculturas entre outras coisas (como parte dos aposentos de Napoleão). 













Não vimos, infelizmente tudo e diria mesmo que nem metade mas o que vimos deixou-nos fascinados, é sem dúvida um museu a não se perder.

2 - Jardin des Plantes

Depois de um almoço em família, fomos passear para o Jardin des Plantes, um jardim inaugurado em 1640 que queria muito mostrar ao meu namorado, pela sua dimensão, pelas suas flores, animais e espaço em si. É um jardim botânico, aberto ao público e é uma parte integrante do Museu Nacional da História Natural. E quando me referia à sua dimensão... estou mesmo a falar de 23,5 hectares! Tem um jardim zoológico lá dentro, diferentes tipos de árvores, flores e plantas.







Depois deste passeio, ainda fomos espreitar Les Arènes de Lutèce, construções do tempo Romano, um arena onde há muito tempo atrás, os gladiadores se debatiam! É verdade, Paris também tem uma arena de gladiadores que infelizmente desta vez não fotografei mas vale a pena a visita, os habitantes locais apreciam bastante aquele local e passam muito tempo lá em jogos e convivo! Depois de mais uma visita turística, seguiu-se um lanche mais que merecido: um mega crepe de nutella, um jantar acolhedor e uma vontade muito pequena de fazer a mala e ir dormir... porque no dia seguinte era dia de regressar.

Quinto dia

Acordámos cedo, aproveitamos os últimos croissants ao pequeno-almoço e despedimo-nos de Paris, de uma cidade tão especial para mim e seguimos para o Aeroporto de Orly onde mais uma vez a Transavia nos desiludiu, desta vez com mais de uma hora de espera. Fiquei altamente irritada (também porque ainda ia trabalhar e tinha as horas todas contadas ao minuto) e sinceramente nem eu nem o meu namorado esperamos viajar pela Transavia tão cedo. Mas já planeamos a próxima viagem... vamos lá ver que aventura se segue.


quinta-feira, 13 de abril de 2017

Desde quando é que eu também já tive tantas férias escolares?

Mas dizem que sim, que é verdade, quando refilo que os miúdos estão sempre de férias. Engraçado, não me lembro mesmo de ter tantos dias, talvez porque na altura não ligava tanto ou talvez porque agora que trabalho (e antes pensava exatamente o contrário) é que sinto que preciso mesmo de muitos dias de férias. 

Tive férias em março mas tirando essa altura, não tinha férias desde setembro de 2016 e já andava a trepar paredes e não trabalho oito horas, imaginem se o fizesse. E assim que começa o bom tempo a dar o seu bom ar, começo logo a pensar em como era bom estar de férias, planear tardes de praia, noites de copos e música, manhãs solarengas... Mas eu realmente queixo-me de barriga cheia porque tenho a felicidade (depende dos dias) de trabalhar em regime de part-time o que me deixa muito tempo para aproveitar para fazer outras coisas que a esmagadora maioria só faz nas suas folgas. É bem verdade que eu ultimamente queixo-me mais do que aquilo que agradeço mas o motivo do post de hoje é mesmo esse: agradecer o que tenho. Ainda que não tenha, atualmente, as férias (as benditas e longas férias) escolares. Quem tiver de férias da escola, aproveitem bastante e divirtam-se muito porque são tempos que dificilmente repetirão! Boa quinta-feira :)

quarta-feira, 12 de abril de 2017

E o primeiro dia de praia aconteceu

Ontem estive quase a ceder em ficar na minha bolha, no meu dia de folga. Mas combati essa vontade. Vesti pela primeira vez o biquíni este ano, arranjei um sitio no areal um pouco mais isolado e estendi-me ao sol.
Posso dizer que me soube pela vida... Dediquei-me a pensar na sensação que seria despir-me na praia que me passou ao lado todas as outras sensações que a praia me trás. O respirar aquela brisa. Sentir o sol na pele. Ouvir as ondas... Por isso nunca me fez confusão nenhuma ir à praia sozinha, pelo contrário. 

Quem por aí já fez os seus primeiros banhos de sol?


segunda-feira, 10 de abril de 2017

Obrigada à blogosfera!

A Blogosfera, para mim, continua a ser um mundo bom. Um mundo onde ainda há quem perca tempo a ler o que escrevemos e melhor, dão-nos uma palavra de apoio. Como foi o caso em relação a este meu post; recebi um feedback muito grande e cheio de boa energia. Muito obrigada a todas as pessoas que leram o meu desabafo e me deram uma palavra amiga só porque sim.
Definitivamente este é um blogue onde prefiro mostrar sempre o meu melhor lado e o lado positivo da vida mas nem sempre isso é possível e como a vida é mesmo assim, com altos e baixos, o meu blogue teria que ser assim também, sem grande dramatismo, claro, porque tudo o que escrevo neste blogue sou eu mas nem tudo o que sou está espelhado aqui.

A todas as pessoas que se sentem inseguras, seja porque motivo for, fiquem a saber: não estão sozinhos no mundo nem nunca estarão porque a insegurança faz parte do ser humano. Temos sim é que não nos deixar levar por elas e contrariar tudo o que nos empurra para baixo. Força! :)

domingo, 9 de abril de 2017

Espero que o vosso domingo esteja a ser encantador

Porque o meu começou muito bem, desta forma como partilho com vocês! Aproveitem o dia de sol e dêem um passeio, sozinhos ou acompanhados. Às vezes custa combater a vontade de não sair do sofá mas temos de o fazer; a nossa sanidade assim o merece. Continuação de bom domingo :)

sábado, 8 de abril de 2017

20# O que a Rititi ouve no carro

Ah...
Sábado e com este belo tempo (mesmo que para mim seja segunda-feira) merece uma música, ainda que antiga, que nos faça dançar e sentir o verão a aproximar-se!

sexta-feira, 7 de abril de 2017

3# Roteiro para cinco dia em Paris

Terceiro dia

1 - Sacré-Couer

Para o terceiro dia saímos os dois sozinhos de casa, para darmos descanso a quem nos acompanhou no dia anterior porque quem estava de férias éramos nós e apesar do cansaço, acordámos cedo e la fomos nós.

[Nota: Decidimos comprar um passe diário que dava para todos os transportes e teve um valor de 12 euros cada um.]

O dia estava muito bonito, com céu azul e sol quente e a sensação de chegar à Basílica do Sacré-Couer com aquele tempo foi formidável. Havia um senhor a tocar harpa (sim, leram bem!), a escadaria estava cheia de gente (normal, era sábado) e a paisagem, ainda que coberta por uma leve neblina, não desiludiu. Inspirada na arquitetura romana e construída entre 1875 e 1914, o Sacré-Couer encontra-se no ponto mais alto da cidade, em Montmartre.

[Nota: Existe um elevador para quem não queira subir toda aquela escadaria até cegar à Basílica mas precisam à mesma de gastar um bilhete. Nós tínhamos passe e como subimos a pé, aproveitámos e descemos de elevador.]



2 - Avenue des Champs Élysées

Como a hora de almoço se aproximava, sugeri irmos até aos Chaps Élysées para comer qualquer coisa no McDonald's (um menú Big Mac fica muito perto dos oito euros) e até aqui nos foi pedido para abrirmos a mochila; em praticamente todas as lojas da avenida havia um segurança a revistar os pertences de quem quisesse entrar, uma forte medida de segurança que, devido à atual realidade do país e do mundo, é uma necessidade. Fizemos a avenida toda até ao Arco do Triunfo e ainda espreitamos para meia dúzia de lojas, ficamos fascinados com os cafés e claro, com todo o tipo de carros de alta cilindrada a desfilarem por ali.



3 - Arc de Triomphe

Chegado ao fim da avenida, deparamo-nos com a rotunda mais conhecida da cidade, onde no meio se encontra outro monumento imponente: o Arco do Triunfo, construído a mando de Napoleão Bonaparte, depois das suas vitórias militares.



4 - Tour Eiffel

Assim que saímos do metro, ali estava ela, enorme visto de tão perto... Sim, a mítica Tour Eiffel foi o próximo monumento que decidimos ir ver, não de tão perto como queríamos porque, mais uma vez devido às fortes medidas de segurança, só quem comprasse bilhete para a visitar e subir, é que poderia entrar no perímetro. Como os dois já tínhamos subido ao topo, passámos isso e ficámos sentados num banco de jardim a descansar e a apreciar a paisagem.




5 - Trocadero

Subimos então até ao Trocadero, um lugar onde se encontra o Palais de Chaillot e que tem uma vista privilegiada sob a Tour Eiffel, com um vasto relvado e uma escadaria, onde aglomerados de pessoas se sentam, convivem, tiram fotos, andam de skate e ainda fazem manifestações!



6 - Jardin des Tuileries 

Um dos espaços mais emblemáticos e apreciados, em termos de jardins, da cidade, chegámos ao Jardin des Tuileries ao final da tarde, mas ainda com sol e por isso não conseguimos uma única cadeira para nos sentarmos ao pé do lago. Também este local estava carregado de pessoas a apreciarem o dia solarengo!




7 - Louvre

Caminhando pelo Jardin des Tuileries chegamos a outro ponto de referencia da cidade, o largo onde se encontra o Museu do Louvre. É outro local tão característico, rodeado de edifícios com uma arquitetura espetacular que nos fazem apaixonar ainda mais pela cidade. Decidimos guardar a visita ao Museu para o dia seguinte e partimos para outro local, este seria novidade para mim mas infelizmente quando lá chegámos tinha acabado de fechar. Estou a falar do Cemitério de Père-Lachaise, um dos mais famosos do mundo, onde estão sepultadas personalidades como Jim Morrison e Édith Piaf.



8 - Hotel de Ville 

Aqui sim a dita Câmara Municipal de Paris, um edifício gigante que (para não variar) tem uma grande presença na cidade e é um ponto de visita, quer pelo espaço em si, quer pela sua arquitetura renascentista.


9 - Le BHV Marais

Logo ao lado está um grande... não diria centro comercial porque não tem lojas muito diferentes mas sim um aglomerado de lojas caras, dos lugares para se fazer compras mais antigo da cidade e apesar de não ser dos pontos mais requisitados na visita dos turistas, merece a pena ser visitado. Encontrarão um pouco de tudo como roupa ou até decoração para casa.

[Nota: Do cimo deste local vê-se muito bem os telhados das casas mais antigas de Paris, merece a pena irem espreitar, principalmente se for no pôr-do-sol, como nós.


Por esta altura já escurecia a passos largos e nós já tínhamos jantar marcado na casa de uma prima e para variar um pouco, o jantar foi comida mexicana e estava tudo maravilhoso, porque quando se está em família tudo vale mais a pena. Mas a caminho da casa da minha prima, ainda consegui tirar uma fotografia que resume muito bem paris: luzes, arquitetura, o rio Seine e um beijo entre namorados. Sem filtros, só para vocês. :)


Até ao próximo dia de roteiro! ;)

quinta-feira, 6 de abril de 2017

31# Tragam as pipocas, hoje é dia de cinema!




Só agora é que ando a por os filmes nomeados (e alguns vencedores) para os Óscares e no outro dia escolhi ver o filme que fez Casey Affleck ganhar a categoria de Melhor Ator Principal - "Manchester by the Sea". 

Se gostam de drama mas daquele super, hiper, mega drama, então este é o filme certo para vocês até porque é um bom filme! Lee Chandler (Casey Affleck) vive uma vida monótona, longe da cidade que o viu crescer mas após o repentino falecimento do irmão mais velho, vê-se obrigado a regressar e ficar como tutor do seu sobrinho. Mas regressar não significará só lidar com a dor da recente perda e das repentinas "obrigações"; Lee vai ser obrigado a recordar-se porque se foi embora e vai contagiar-nos com a sua angústia, dor extrema e essencialmente, angústia.
Não pensem que por ser um super, hiper, mega drama, que vão chorar vezes sem conta; vão é sentir-se desconfortáveis, com uma mistura de sensações no peito, desde pena a revolta, a sentimento de injustiça e amor e tudo a um ritmo de cenas que varia entre o passado e o presente.

Ainda não tenho grande termo de comparação mas creio que o Óscar foi parar a um par de mãos bastante merecedora, pois este Affleck consegue mesmo conquistar-nos, conseguimos sofrer a sua dor e consegue criar-nos dúvidas e mais só poderão perceber se virem o filme. Vão por mim, vai valer a pena.