terça-feira, 26 de junho de 2018

Amizade | Até Que Ponto Tem Que Se Correr Atrás?

Está mais do que comprovado que os nossos amigos são a família que nós escolhemos, aqueles que queremos tão bem quanto os do nosso sangue. Desde que nascemos que criamos laços; primeiro em casa e em família, depois com os amiguinhos que nos vão acompanhando (ou não) ao longo da vida, obrigando-nos a perceber que existem diversos níveis de amizade, diversas formas de ser-se amigo e diversas formas de o demonstrar.

Eu transformei-me numa pessoa que ama verdadeiramente o seu amigo. Protege-o de qualquer situação, fá-lo estar presente na sua vida em qualquer circunstancia e está disponível 24H para qualquer emergência. E não aceito, em absoluto, que não sejam assim para mim. Às vezes penso que sou muito mais exigente nas minhas amizades do que nas minhas relações, talvez por estimá-los tanto e talvez por achar que os amigos são para a vida, mais do que qualquer outra relação amorosa. Se calhar o erro está em mim - mas não sei ser de outra forma.


Claro que já percebi que não é bem assim; há amigos que chegam e que partem. Às vezes com a mesma intensidade, outras sem nós darmos por isso. Há elos que se quebram só porque sim. Só porque a vida nos ocupa demasiado e não "temos" tempo para um café. Mas existem outros elos que se quebram naturalmente - ou porque já não nos revemos na outra pessoa ou porque havia algo mais importante que a nossa amizade. 

São ciclos da vida, como tudo. Estou num ponto da minha vida que não vou - não posso, nem quero - correr atrás de ninguém para que se lembrem de mim. Porque a amizade não te exige que fales todos os dias com essa pessoa ou que estejas com ela semana sim, semana não [se não que faria eu com os meus amigos emigrantes?!] mas a amizade exige que sintas no teu coração que aquela pessoa está lá para ti, a qualquer hora, independentemente da distância ou do estado da vida. Nunca houve nem sei se algum dia haverá espaço para amigos que não sejam assim para mim. 

8 comentários:

  1. Eu já fui aquela pessoa que corria atrás das pessoas, para que reparassem que eu existia. Depressa aprendi que isso não leva a lado nenhum e que pessoas dessas não são, nem nunca serão nossas amigas. Amigos não precisa estar, precisa ser. É um dos meus lemas. Amigos são aqueles que sabemos que num dia em que precisemos, eles estão do nosso lado num estalar dos dedos e que muitas vezes quantidade não é sinónimo de verdadeiras amizades ;)

    Beijinhos,
    Ricardo, www.opinguimsemasas.pt

    ResponderEliminar
  2. Acredito que os amigos são bem melhores do que relações amorosas, mas também há amigos que depois viram namorados e fica um pouco mais complicado. Acho que não é de todo um erro teu. Quando estamos no pior dia da nossa vida são os amigos que lá estão, para dar-nos a mão. É mesmo estar 24/24 disponível para qualquer ocasião. Beijinhos

    www.dezoito.pt

    ResponderEliminar
  3. Lindo, exactamente aquilo que eu penso e sinto. E o mais triste de tudo é quando não somos correspondidos da mesma forma 👍💜

    ResponderEliminar
  4. Já fui uma pessoa que corria atrás para não perder as amizades, mas já me deixei disso. Apercebi-me que, por vezes, só precisavam de mim quando lhes convinha. O mais correto nessas alturas é optar pela distância. Temos de valorizar quem se preocupa realmente.

    Lindo post! Beijinho grande
    https://whaaatifni.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Tenho reforçado a ideia que não devemos correr atrás, mas caminhar lado a lado. E isso não quer dizer que as pessoas tenham que estar juntas ou falar diariamente, porque nem sempre é possível. Agora, tem é que existir a certeza de parte a parte que estarão sempre disponíveis umas para as outras. Isso, sim, é fundamental. Por exemplo, eu e a minha melhor amigas passamos dias sem nos vermos/falarmos, mas sabemos que somos as primeiras a chegar quando é preciso.

    ResponderEliminar
  6. Pois acho o mesmo... Estando fora de Portugal há 6 anos continuo a manter os meus amigos de sempre e claro que não falamos todos os dias, mas estamos lá uns para os outros quando é preciso. Para o bom e para o mau.

    ResponderEliminar
  7. Tal como tu, também sou muito exigente nas minhas amizades. Isto porque dou tudo de mim e, também espero que retribuam essa amizade.

    ResponderEliminar
  8. Não podia escrever melhor, com a idade começamos a ver as coisas de outra forma e a dar valor e tanta coisa que não dávamos antes e a ser menos tolerantes com tantas outras. Quem está, está...

    ResponderEliminar